Anderson Thiago Rodrigues Campeoti

É triste e doloroso pra mim, mas para que saibam o porquê do movimento, segue abaixo o resumo do ocorrido:

No dia 14 de dezembro de 2017, meu filho estava trabalhando na FELIZ FARMA, uma drogaria localizada no Jd das maravilhas na divisa de Santo André com São Paulo. Por volta das 12:20h entra um jovem aparentemente para fazer compras, mas logo anunciou o assalto rendendo meu filho e mais um funcionário. Deu uma coronhada na cabeça do meu filho e fez ele e seu colega deitarem no chão atrás do balcão enquanto apalpava suas roupas na tentativa de achar um celular. Logo convidou meu filho para ir até o fundo da loja onde lá também se encontrava outra funcionária. Esse por sua vez pegou também o celular da moça, os fez ajoelhar e depois disso, mesmo com os celulares em seu poder, atirou sem piedade na cabeça do meu filho.


Receber essa notícia, foi a pior dor da minha vida! 


Meu lindo foi levado para o hospital Santa Casa de Santo André e passou por uma cirurgia que durou pouco mais de duas horas. 


Eu muito apreensiva e com a esperança de que a bala tivesse pego só de raspão, chorava e rezava pra isso, quando a médica neurocirurgiã saiu e falou:


"-Só limpei e fechei...


Porque o seu filho estava ajoelhado e a bala pegou do alto da cabeça no canto esquerdo e percorreu até o ouvido direito estourando o tímpano. A temperatura da bala é tão alta que por onde passa destrói tudo. A arma mãe, provavelmente é antiga porque não tinha bala na cabeça do seu filho, tinha mais de sessenta fragmentos, ou seja, a bala explodiu dentro da cabeça do seu filho, fazendo com que parte do cérebro saísse para fora..." aí eu virei às costas para a médica e não quis ouvir mais nada. 


Imagino que para as pessoas que estão lendo essas palavras está sendo chocante...agora imagina uma mãe que carregou esse filho nove meses em seu ventre, cuidou, educou, ensinou o que ela tinha de melhor a oferecer, viu esse bebê se tronar um exemplo de homem...trabalhador, honesto, responsável, amigo, irmão maravilhoso, filho extraordinário e pouco antes de ele completar 26 anos, no auge da sua vida, cursando faculdade de farmácia, se esforçando, conquistando suas coisinhas como sempre sonhou...imagina uma mãe ouvir essas palavras de forma fria e técnica...

Meu filho permaneceu no hospital por quatro dias para sua despedida. Ficou respirando por aparelhos onde podemos ficar pertinho dele, sentir sua presença, mesmo que inconsciente.


No quarto dia 18/12, o coraçãozinho dele parou e ele nos deixou.


Lindo, quase 1,90 m de altura, cheio de saúde, sorriso incrível, tímido e amoroso, foi tirado de mim por um " menor de 17 anos".

A minha dor é minha e única, mas posso garantir que minha força vem desta luta por justiça e mais amor no mundo!

Que sejam vetadas as leis das “saidinhas”, “ficha limpa”, indulto e maioridade penal.


Crime é crime independente da idade.

Acredito no AMOR, esse sentimento sublime que é capaz de levantar uma mãe da cama todos os dias mesmo faltando um pedaço, mas também acredito que só teremos um país melhor e mais digno para viver, se existir disciplina e leis efetivas contra a criminalidade e a violência.

 

Veronica - mãe do Anderson

                                                                                                   Web Design: Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*