Arthur Lourenço Alcaide Miquelan

Era feriado e Arthur que trabalhava a semana toda, resolveu ir encontrar com os amigos, antes do almoço no campinho próximo de sua casa, para empinar PIPA. Quando de repente a pipa se soltou indo em direção a uma trilha. Arthur foi atrás e foi brutalmente atacado por policiais que ali estavam e que começaram a atirar. Os seus amigos correram do local, mas ele, que estava com fone de ouvidos, correndo e olhando pra cima, não ouviu os tiros e nem prestou atenção aos policiais.
 

Um dos amigos conta que de longe e escondido, viu quando Arthur foi atingido na perna e começou a gritar: - Socorro, eu não sou ladrão! - Eu trabalho! - Por favor, chame a minha mãe, eu moro aqui na rua, ela lhe mostra os meus documentos!

Mesmo assim, os policiais continuaram a torturá-lo e xingá-lo com palavrões. Ao todo eram 6 PMs, depois das torturas e xingamentos, os policiais lhe deram mais 3 tiros e jogaram o seu corpo num buraco próximo a trilha! Essa testemunha está sob sigilo e ainda em choque ao lembrar do ocorrido! Na região aconteceram outros crimes na mesma característica deste e por isso existem fortes indícios de ser um grupo de extermínio.

 

Arthur foi covardemente assassinado e teve o celular e sua corrente de ouro do pescoço, roubados pelos policias da força tatica. Seu unico crime foi estava simplesmente brincado, porque apesar de ser alto era um menino sem maldade no coração e morreu com um pacote de bolachas na mão.


Arthur, jovem, trabalhador, estudioso e filho único!

 

                                                                                                   Web Design: Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*