Liana Bei Friedenbach

A estudante Liana de 16 anos foi acampar com seu namorado Felipe Silva Caffé de 19 anos, em Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, mas foi vista por um menor (na época do crime) de apelido Champinha, marginal já bem conhecido pela polícia e temido pelos moradores da região. Ele ao ver Liana teve a idéia de assaltar o casal, para isso recrutou alguns comparsas. Ao pegar o casal, Liana argumentou que vinha de família com posses, que poderiam pagar um resgate. Neste momento ele decidiu que Felipe seria morto, um dos companheiros de crime apelidado de Pernambuco levou Felipe para o meio das árvores e atirou a queima roupa na nuca do rapaz. Liana foi levada para a casa de outro dos criminosos, onde ficou alguns dias sendo estuprada, torturada e ameaçada. Champinha acabou se assustando com o grande número de policiais que vasculhavam a região em busca do casal e resolveu mata-la. Ele levou Liana para dentro da mata e lhe deu duas facadas no peito. A jovem caiu e em seguida levou mais 12 estocadas no tórax e uma no pescoço, profunda a ponto de quase degolá-la. 

Os assassinos foram presos alguns dias depois dos crimes. Em julho de 2006, Antonio Caetano da Silva, Agnaldo Pires e Antônio Mathias de Barros foram condenados pela Justiça a 124, 47 e 6 anos de prisão, respectivamente. Em novembro de 2007, Paulo César da Silva Marques, o "Pernambuco", foi condenado a 110 anos e 18 dias de prisão pelo assassinato. "Champinha", considerado o líder do bando, era menor de idade na época da morte do casal e foi internado na Unidade Experimental de Saúde da Unidade Tietê da Fundação Casa (antiga Febem), na Vila Mariazona norte de São Paulo, onde permanece desde então.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Liana_Friedenbach_e_Felipe_Caff%C3%A9

 

http://www.youtube.com/watch?v=WNAw-8nimrE&feature=player_embedded#!


 

                                                                                                   Web Design: Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*