Lucas Henrique Babolim

Lucas Henrique Babolim, na ocasião com 5 anos, foi internado na Santa Casa de Limeira em meados de 12/2007. O que seria uma simples cirurgia de um pé quebrado terminou em tragédia quando Lucas Henrique Babolim sofreu uma parada cardiorrespiratória e entrou em coma.

Segundo a família, houve negligência médica e o caso até hoje está na Justiça.
Completamente imóvel, Lucas Henrique Babolim respirou por meio de uma traqueostomia e se alimentou por uma sonda, durante 1 ano e 8 meses, vindo a falecer em 09/08/2009, domingo do dia dos pais, um dia antes da viagem que o menino faria à China com os pais em busca do tratamento com células-tronco.

Lucas Henrique Babolim sempre foi uma criança feliz e ativa, primeiro filho, esperado, desejado, e muito amado por todos. Comunicativo e muito cativante, chamava a atenção de todos por onde passava. Era campeão de judô, e adorava tocar bateria, sempre com um sorriso no rosto, pronto para dar carinho a quem precisasse. Companheiro para os pais, amigo para a irmã menor, criança sensacional, com um sonho de ser médico e ajudar a salvar vidas. Pois foi justamente o contrário que aconteceu com ele.

Em 18/12/2007, ao brincar no pátio do apartamento que morava com a família, Lucas Henrique Babolim, bateu na lateral de um carro. A motorista por sua vez, acabou passando em cima de seu pezinho esquerdo, causando uma fratura exposta na tíbia.
Ao ser levado ao hospital, foi encaminhado para um procedimento cirúrgico simples, que duraria no máximo 40 min., e no dia seguinte estaria em casa. Mas não foi isso que aconteceu, Lucas Henrique Babolim teve uma parada cardio-respiratória por cerca de 15 min, causando uma hipóxia prolongada, deixando-o em coma.

A dor, a perda e a sensação de quase ter conseguido são constantes nas falas dos pais, que ainda estão chocados. “Com todo nosso sofrimento e perda, não deixaremos de lutar”, dizem. Entretanto, uma mágoa passa pelo olhar do casal. “Enterrei meu filho ontem [domingo] e as pessoas já perguntam sobre o dinheiro”, acrescenta Neide.
Renato reafirma que tudo que fizeram foi para dar uma segunda chance para o filho. “Não conseguimos, mas vamos tentar através de outras crianças que necessitam. Esta será a nossa homenagem ao Lucas Henrique Babolim”, destaca.

O pequeno Lucas Henrique Babolim estava em estado neurovegetativo há um ano e oito meses, depois de uma complicação com a anestesia que resultou em uma parada cardiorrespiratória. Lucas Henrique Babolim morreu um dia antes do embarque para o tratamento na China. A família ainda tenta entender o que aconteceu e aceitar as circunstâncias.

Desde o diagnóstico, eles lutavam para reverter a situação. O casal chora ao dizer que quase chegaram lá, mas como a vida é cheia de surpresas, o pequeno Lucas Henrique Babolim foi embora antes. Ficou uma lição para o jovem casal que, mesmo em um momento doloroso, encontra forças para continuar a batalha, que segundo eles, ainda não foi vencida.

                                                                                                   Web Design: Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*