Mural do Movimento Giorgio Renan

- Prêmio zaP! Dezembro de 2012 
O Prêmio zaP! é oferecido pelo Projeto zaP! e veículos zaP! de comunicação, após termino de votações, recebimentos de indicações, análises de pautas, sugestões encaminhadas, enfim, tendo como princípio primordial, reconhecer todos àqueles que durante o ano, demonstram a necessidade de somar, provocar mudanças que possam somar, beneficiando coletivamente o ser humano e o planeta. A todos os que se empenham em atuar, divulgar propagar, promover, amparar, com demonstração de real e ativa preocupação com a sociedade, sem inércia, valorando o próximo, com o comprometimento de estar de qualquer forma doando solidariedade, distribuindo amor, dando a certeza de estar ininterruptamente objetivando um Mundo Melhor, ensinando, agindo, semeando o bem maior, e, principalmente zelando pela Paz!
O Prêmio zaP!, é uma humilde Homenagem, porém, REFERENDADO PELA UNESCO, com ampla abrangência, que com o passar do tempo, é cada vez mais pleiteado e respeitado.

- São Paulo - SP - 06/04/13 - 14 Hrs no vão do MASP Av. Paulista - O Movimento Giorgio Renan Por Justiça promoveu um Ato Público Pela Redução Da Marioridade Penal com apoio da Ong Justiça é o Que se Busca na pessoa de sua criadora Sandra Domingues e apoio da Deputada Federal Keiko Ota, do Vereador Massataka Ota e do Vereador Ari Friedenbach.

- Praia Grande - SP - 19/10/13 - UM DIA A MAIS COM NOSSOS FILHOS

Pessoas que vários cantos do Brasil se reuniram, em homenagem ao jovem Luis Paulo Oliveira Barbosa que completaria 23 anos no dia 21/10. Adriana Oliveira Barbosa e José Antonio Barbosa, pais do jovem assassinado, muito emocionados, agradeceram a presença de todos e desabafaram: “A gente quer que alguém escute o nosso grito, um pedido de ajuda, porque todo dia a gente liga a televisão e a gente vê uma mãe, um pai se debruçando em cima de um caixão de um filho e ninguém faz nada”.
O evento denominado “Um dia a mais com nossos Filhos” foi realizado para homenagear os filhos que partiram cedo demais; vítimas da violência, de erros médicos; latrocínio, homicídio e os manifestantes pediam, através de um abaixo-assinado, “Pelo fim da Impunidade”, mudanças no código penal brasileiro e fixaram 180 cruzes com fotos das vítimas da violência na areia da praia de Ocian, em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Alguns casos são conhecidos dos moradores da Baixada Santista, como o da filha de Wilson Araujo, que morreu em São Vicente. “A Emily foi assassinada em maio de 2007, vítima de quatro menores de idade que tentaram roubar a máquina fotográfica que ela tinha na mão na garagem de casa”, contou ele.
Pessoas vieram de diferentes partes do país para que certos crimes não sejam esquecidos. “Meu filho tinha 10 anos e um menor foi colocado na escola dele pelo Conselho Tutelar. O menino já tinha sete passagens, já tinha sido expulso de escola. Em 27 de maio de 2002, o pai do menino veio buscar o meu lá em casa para brincar e eu deixei porque eu não sabia da história do menino. Ele deixou eles sozinhos. O menino deu uma surra no meu filho, uma facada nas costas e um tiro de espinguarda no pescoço”, conta Elisabeth Metynoski, mãe de uma vítima de Curitiba, no Paraná.
Outros casos ficaram conhecidos nacionalmente. ”Um psicopata em Realengo invadiu a escola, com duas armas, cheio de munição e alvejou várias crianças. Dessas, 12 foram fatais, 11 feridas e 1 milhão chorando”, falou André Machado, pai de uma das vítimas da tragédia em Realengo, no Rio de Janeiro.
Algumas pessoas que estavam curtindo o dia na praia também se juntaram ao grupo. Elas rezaram, cantaram, se emocionaram e também assinaram o abaixo assinado para que o Congresso Brasileiro repense o Código Penal do país. 
A homenagem foi organizada pela ONG ‘Justiça é o que se busca’, que tem o papel de dar apoio às pessoas que perdem parentes por causa da violência. "Nós acompanhamos os casos do começo ao fim. Indicamos advogados, encaminhados para psicólogos, procuramos dar apoio, um ombro amigo”, disse a presidente da ONG, Sandra Domingues.

 

- São Vicente - SP - 22/10/13 - Visita a Creche Emily - um trabalho lindo da Ong Emily Uma Paixão Pela Vida, do casal Wilson Caetano Araujo e Angela G. de Araujo, onde 63 crianças passam o dia, tendo toda assistência e educação.

- Praia Grande - SP - 19/10/14 - Um Dia a Mais Com Nossos Filhos

 

Famílias de vítimas de violência de vários locais do Brasil se reuniram novamente, em homenagem aos seus filhos e entes queridos que partiram cedo demais e também para homenagear o jovem Luis Paulo Oliveira Barbosa que completaria 24 anos no dia 21/10. Adriana Oliveira Barbosa e José Antonio Barbosa, pais do jovem assassinado, realizaram nesta data o desejo de seu filho, que pediu aos pais que se um dia não estivesse mais na terra, que suas cinzas fossem jogadas no mar neste local. 
O evento denominado “Um dia a mais com nossos Filhos” é realizado para lembrar as vítimas da violência, de erros médicos; latrocínio, homicídio e acidentes de transito. 
Foram colocadas 480 cruzes com fotos de vítimas de violência e um varal com as fotos de pessoas desaparecidas.

O evento foi realizado pela ONG Justiça é o Que Se Busca da nossa companheira de luta Sandra Domingues, com apoio do Movimento Giorgio Renan Por Justiça e outros Movimentos que estiveram presentes, como o Movimento Emily Uma Paixão Pela Vida, Ong Cure O Mundo e IPTRAN.