Maria Tatiana Barros Oliveira

A Taty, assim preferia ser chamada, nasceu em Massapê - CE e veio para São Paulo aos 16 anos, para morar na casa de sua irmã mais velha, Maria Silvanir Barros Oliveira. Ela continuou seus estudos e passou a trabalhar na Drogaria pertencente a Silvanir. Sempre muito corajosa e determinada, desde cedo trabalhou para ajudar a mãe, seus pais se separaram e por este motivo ela era muito apegada a mãe.

Ela era muito espontânea, tinha o espírito alegre, divertido e brincalhão como de uma criança, gostava de viver o hoje, sem fazer muitos planos para o futuro. Nunca ficava triste, sempre que algo a magoava, logo perdoava e esquecia, não guardava magoa de ninguém. Sempre que via alguém triste ou chorando, ia consolar, fazia graça, até que a pessoa voltasse a sorrir.

Sua paixão era uma moto Biz, que possuía e dizia ser sua “filha”, pois ao andar com ela dizia se sentir totalmente livre, doidinha como diziam os amigos, a família ficava com o coração na mão quando ela saia com a moto, mas ela era muito responsável e pilotava com cuidado.

Ela estava com 21 anos quando foi assassinada, naquele mesmo mês faria aniversário e estava convidando os amigos para uma festa a fantasia que planejara. Aos 21 anos já havia feito muitas conquistas, estava cursando o quarto ano da faculdade de Farmácia e Bioquímica e se tornara sócia do cunhado, Francisco na Drogaria. Ela era responsável pelo recebimento das contas das drogarias a serem pagas e do recebimento do dinheiro para o pagamento das mesmas, o que fazia diariamente.

No dia 10/10/2011, por volta das 14:40 h, dois menores entraram na drogaria em que ela trabalhava e ficaram circulando pela mesma até que todos os clientes saíssem, quando isso ocorreu anunciaram o assalto. O menor que tinha 16 anos ficou na porta da drogaria ameaçando os funcionários, dizendo que iria atirar no pé dos mesmos, enquanto isso o menor de 17 anos dentro da loja entrou onde a Taty fazia a contagem e separação do dinheiro para pagar as contas, funcionários e depósitos bancários, ela não reagiu em momento algum, somente pediu que eles fossem embora sem machucar ninguém, mas quando ela fez este pedido, o menor de 16 anos que já estava fora, voltou e sem mais atirou a queima roupa na cabeça da Taty, isso foi as 14:45h. Os dois menores saíram com se nada tivessem feito. Ela foi levada ao hospital mais próximo, mas apesar de todos os esforços para salvar sua vida, ela não resistiu, faleceu as 19:00 h.


Depois de uma semana do crime, os dois menores foram encontrados em Paraty – RJ, desfrutando do dinheiro roubado e na delegacia confessaram que haviam mais três envolvidos, maiores de idade, dois ficaram em um carro para garantir a fuga e um em uma moto fazendo a cobertura enquanto eles praticavam o assalto. Um destes maiores foi pego, após uma denuncia e contou a polícia que quem havia planejado o assalto foi um ex-funcionário da drogaria, pois ele sabia da rotina da mesma. Este ex-funcionário foi morto dois meses antes de se descobrir seu envolvimento, inclusive na ocasião a família da Taty, que tinha amizade e carinho por este ex-funcionário, acompanhou o velório e chorou por ele. Ainda hoje, os demais envolvidos estão foragidos.

                                                                                                   Web Design: Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*